Ragini MMS (2011)

15.10.11 Carol Batista 0 Comments

Ando muito experimental e um pouco cansada de romance, o que me faz procurar filmes diferentes dos quais estou acostumada. Eu tinha uma vaga ideia de que Ragini MMS era um filme de terror e que havia sido baseado em uma história real, mas não sabia nada ao certo e decidi arriscar para ver no que dava. 

Dirigido por Pawan Kripalani, o filme conta a história de Ragini (Kainaz Motivala), uma moça bonitinha que decide fazer sexo com o namorado, Uday (Raj Kumar Yadav). Ela nem imagina que ele planeja gravar a experiência para um homem que prometeu ajudá-lo com sua carreira de ator em troca do vídeo. Uday leva Ragini para uma casa cheia de câmeras escondidas, mas os dois não imaginam que um fantasma de uma bruxa (!) assombra a casa. O melhor? O fantasma curte matar pessoas. 

Não gosto de terror e nem de suspense, então não foram poucas as vezes que me perguntei por que raios eu estava assistindo aquilo. Achei legal o filme ser todo mostrado pelas câmeras dos personagens ou as da casa, mas isto não é uma coisa tão incrível assim. Sou medrosa, mas decidi superar meus limites e tentar ver o filme, mas...não senti medo algum. Nos primeiros trinta minutos estava com o maior frio na barriga, especialmente quando o vulto da fantasminha ficava passando. Então esperei algo acontecer. E esperei. E esperei. Aí aconteceu, mas já não tinha mais graça. Eu estava ali enfrentando meus temores, dá para tentar me causar medo, por favor? Na maior parte das cenas em que acontece algo, a fantasma entra no corpo das pessoas e elas começam a se agredir, então não era nada demais. Essa fantasma me irritou bastante. Acho que no passado ela havia sido acusada de ser uma bruxa e ter matado seus filhos, algo assim. Não estou acostumada com filmes de terror, mas não me parece ser a primeira vez em que vi um espírito querendo provar sua inocência matando pessoas. Não consigo entender isto, de verdade. Outra coisa que não entendo: por que ela fez e aconteceu com o Uday e só dava uns tapas na Ragini? Está certo que mais para o fim a coitada da Ragini também levou umas, mas não entendi porque a fantasminha demorou tanto para atacá-la, até mesmo por a Ragini ser a mais vulnerável — devido à uma gracinha do namoradinho, esteve acorrentada à cama durante quase todo o tempo. Sou mais feliz sem tentar entender lógicas fantasmagóricas. 

A Kainaz Motivala não me convenceu em nenhuma cena de pavor, mesmo com todos os gritos. Já o Raj Kumar Yadav me assustou quando li seu nome pela primeira vez e minha mente captou "Raaj Kumar", cujo fantasma certamente me apavoraria mais que o do filme. Fora isso, seu personagem era um belo de um estúpido, gritando com a namorada o tempo todo. E ela deixava, ó céus. Tudo bem, sei que existem meninas assim (força, garotas!). Pelo menos ele ficou mais histérico com o fantasma do que a Ragini, mostrando que o valentão sempre acaba sendo o covarde. Logo que vi o ator senti uma raiva por dentro e não entendi por que, mas logo começou a tocar uma música do Love, Sex Aur Dhokha (2010) e lembrei que eu queria tirar a vida dele naquele filme. No Ragini ele está bem, mas nada demais. 


Não gostei do filme. Fiquei entediada, vendo quanto tempo faltava para o fim e rindo ou pensando em outras coisas durante as cenas de “terror”. Uma boa lição que pode trazer aos filmes indianos é que...surpresa, seus jovens fazem sexo! Também me deixou curiosa sobre o tal caso no qual o filme se baseou, mas fiz uma pesquisa rápida e não me pareceu tão interessante assim. De resto, ainda espero por um filme de terror indiano que me tire o fôlego...mas que seja de medo.

0 comentários:

E aí, o que tem a dizer? Deewaneie!

Comentários ofensivos serão excluídos.