Aconteceu em Bolly # 16

24.2.18 Carol 7 Comments


E a coluna começa 2018 com o pé direito, esperando que também seja um ano melhor para Bollywood. Hoje tem lançamento atrasado, um protagonista não muito bom para um lançamento, arrogância desnecessária, #classemédiasofre e muito mais. Descubra o que aconteceu em Bolly!

Fé no pai que o filme sai
  
Kedarnath está demorando bastante para ser finalizado. O filme marcará a estreia de Sara Ali Khan, filha de Saif, e contará uma história de amor durante as inundações que tomaram a Índia em 2013. Sara terá Sushant Singh Rajput como par romântico. O diretor Abhishek Kapoor tem vivido uma briga pública com a produtora KriArj Entertainment, conflito que chegou aos tribunais e que teria tido início por Abhishek anunciar uma data de lançamento sem a aprovação da produtora, que não quer que o filme estreie na mesma data que Zero, o próximo de Shahrukh Khan. Aparentemente todos estão apaziguados agora e o filme está retomou as filmagens.

 

Não está sendo fácil 
 
Salman Khan falou recentemente sobre as inseguranças que teve ao iniciar sua carreira como ator com Maine Pyar Kiya, em 1989:

"A jornada que comecei com Maine Pyar Kiya, sem saber se eu conseguiria, e aquela época, foram difíceis porque havia outro ator que havia iniciado sua carreira com um grande sucesso. O nome daquele garoto era Aamir Khan. Ele morava no mesmo lugar que eu. Eu pensava que se ele tinha conseguido e eu não conseguisse, a região de Bandra inteira começaria a rir de mim. Então minha preocupação era apenas a área de Bandra-Pali Hill e o círculo de amigos, que tinha apenas quatro ou cinco pessoas."


Ele também falou sobre a pressão que as grandes estrelas sofrem:

"Na minha profissão eu tenho que estar bonito, me vestir bem, fazer sequências de ação estilizadas e romance. Saem matérias sobre os meus namoros, sobre eu estar namorando belas atrizes e de repente surgem as datas do julgamento [Salman foi processado por atropelar e matar um morador de rua em 2002, ao qual não prestou socorro]...as pessoas me veem no Bigg Boss [reality show que apresenta], no qual estou rindo e brincando. Então as pessoas pensam que eu não dou a mínima para as coisas. Esta é a parte mais difícil na nossa jornada como atores. Não importa  pelo que você esteja passando em casa ou na vida pessoal, você não pode ter legendas aqui. Você tem que ser aquele personagem, não importa pelo que esteja passando.

Vejo muitas pessoas saindo de férias, mas eu não posso me dar o luxo de tirar férias. Vejo muitas pessoas se deprimindo e ficando emotivas, mas não posso me dar o luxo de ficar deprimido, triste ou emotivo, pois não importa pelo que eu esteja passando, isso trabalhará contra mim."

Fonte: Hindustan Times.
  
Xenofobia
 
Vocês já sabem o quão triste fico falando sobre o banimento de artistas paquistaneses em Bollywood, atitude tomada após o ataque terrorista na cidade indiana de Uri no ano de 2016. Este evento fez com que fossem tirados de nós artistas incríveis como Fawad Khan (nunca superei) e Mahira Khan, que nem mesmo pôde participar da divulgação de Raees. O novo capítulo desta triste história é musical: a organização Indian Film and Television Producer Council está exigindo um banimento oficial de paquistaneses da indústria após a divulgação da música Ishtehaar, cantada pelo maravilhoso intérprete paquistanês Rahat Fateh Ali Khan para a trilha do filme Welcome To New York. O produtor Vashu Bhagnani comunicou que o que já foi lançado não pode ser retirado, mas que a Índia está em primeiro lugar e que em seus próximos trabalhos não haverá artistas paquistaneses.

E quem segue perdendo é o público. 




Fonte: Hindustan Times.

Chegou a hora?

Após muita especulação, finalmente Isabelle Kaif (irmã de Katrina Kaif) parece ter conseguido um filme para fazer sua estreia em Bollywood. Protetor como é, Salman Khan tomou para si a missão de cuidar do lançamento da jovem e há chances de ela estrear em um filme ao lado de Sooraj Pancholi. Mal visto pelo público como é este rapaz pelo seu envolvimento no suicídio da atriz Jiah Khan, que a pedido dele abortou o bebê que esperava antes de tirar a própria vida, não sei se esta é a melhor parceria para iniciar uma carreira...



Fonte: Open Maganize

Sucesso

Após um período difícil de controvérsias com líderes religiosos e muitas ameaças de morte, Deepika Padukone pode aproveitar a boa repercussão de Padmaavat. Após Ram-Leela e Bajirao Mastani, sua parceria com o diretor Sanjay Leela Bhansali provou ser um sucesso inquestionável.

"Eu me sinto abençoada, porque quando entrei na indústria dez anos atrás com Om Shanti Om, outro filme do Sanjay Leela Bhansali [Saawariya] ia ser lançado na mesma época. Eu não imaginaria que poderia me tornar a personagem principal de um filme dele. Mais do que o sucesso do filme, ele me presenteou com três personagens muito fortes que deixaram uma marca inapagável mas mentes dos apaixonados por cinema"

As críticas recebidas no início da carreira não foram descartadas:

"Elogios não foram constantes na minha jornada. Ao mesmo tempo em que pensava que Om Shanti Om foi o melhor lançamento que alguém poderia pedir, houve uma parte dos críticos e especialistas em cinema que simplesmente me desmereceu. Aqueles momentos foram críticos para moldar minhas decisões profissionais. Me fizeram perceber as coisas que eu precisava melhorar. Eu posso ter feito algumas escolhas de filmes que não foram da forma como eu pensava que seriam, mas todas aquelas experiências me fizeram a atriz e a pessoa que sou hoje. Sem elas, me faltaria convicção para fazer as personagens e ser a profissional que sou hoje."


Fonte: Times of India.
 
Sincerona

Em um debate sobre cinema paralelo, a atriz veterana Ratna Patak Shah declarou que fica incomodada por recentemente a visão internacional da Índia resumir-se a Bollywood e ignorar o restante da produção cultural do país:

"Eu pertenço a um tempo em que falávamos sobre grande arte e cultura quando falávamos sobre a Índia.

(...) É como dizer que toda a civilização americana é Hollywood. É uma ideia vulgar, simplista e infantil da Índia. Tem promovido mais hipocrisia do que se pode crer."

Fonte: The Hindu. 


Tudo resolvido


Sonakshi Sinha e o estilista Manish Malhotra foram juntos ao programa de entrevistas BFFs with Vogue. Indagados sobre Sonam Kapoor, Manish declarou que a atriz é muito talentosa e deveria fazer mais filmes. Já Sonakshi disse que Sonam já foi  arrogante com ela, o que considerou desnecessário. Sonam respondeu no Twitter:
  
"Obrigada, @manishmalhotra! @sonakshisinha, eu sempre fui carinhosa com você, não me lembro de ser arrogante! Se você se sente assim, me desculpe."

Sonakshi respondeu:

"Aaaaah, não seja boba, @sonamkapoor! Todas já estivemos nesses programas onde somos pressionadas a dizer coisas que realmente não queremos. E não estamos acostumadas a ver as coisas  ganharem proporção demais? Não é para levar a sério! Grande abraço."

Não sabemos qual é a relação entre ambas, mas que é legal ver tanta educação entre atrizes, isto é.

Mafiosa

Após viver uma rainha em Padmaavat, Deepika Padukone seguirá um caminho totalmente diferente em seu próximo filme. Ela interpretará a personagem real Ashraf Khan, mais conhecida como Sapna Didi, que foi uma temida rainha da máfia. Irrfan Khan fará o papel do marido de Deepika, o gângster Kaliya. O filme será dirigido por Vishal Bhardwaj, diretor dos clássicos cult Omkara, Maqbool e Haider. A previsão de estreia é em outubro deste ano.

 
Influência
Rani Mukerji falou sobre sua entrada na carreira de atriz. A escolha da profissão não foi um desejo pessoal:

"Eu era uma filha obediente, então fazia tudo o que a minha mãe mandava. Ela falou para eu me tornar atriz, então me tornei atriz. Ela percebeu meu talento antes de mim. Eu me tornei atriz por predefinição. Hoje agradeço à minha mãe, já que não acho que eu seria nada além de atriz."

Em 23 de março veremos Rani em Hicki, filme no qual será uma mulher com Síndrome de Tourette que desafia a sociedade para provar que pode ser professora.

Fonte: Indian Express. 
 
Consciência
 
Sonam Kapoor é uma atriz diferente há alguns anos. Não podemos negar as evidências: filmes como Raanjhana, Neerja, Khoobsurat e Dolly Ki Dolly a têm levado para algo além da imagem de fashionista. A atriz decidiu mudar seu rumo após fazer filmes de comédia e ação como Thank You e Players:

"Eu tirei um ano de folga e perguntei a mim mesma - qual é a minha ambição? É me tornar a maior estrela do país ou uma atriz melhor? Buscar o estrelato me faria desviar do meu caminho. Mas buscar a ideia de ser uma atriz melhor seria muito benéfico. O estrelato viria em seguida. Então acho que mudar minha abordagem me ajudou a encontrar meu espaço, já que comecei a identificar o que me deixa confortável. Ainda não me arrependo dos filmes que fiz. Eles foram grandes lições.

Você precisa sentir dentro de você que este filme a está enriquecendo como pessoa, que a está fazendo ser mais do que era antes. Decidi apenas fazer filmes que me tragam esse sentimento. E tem sido uma ótima jornada."

Os próximos papéis da atriz trarão mulheres fortes e Sonam está bastante consciente da mensagem que quer passar com seu trabalho:

"Nesta época, se você não for responsável por aquilo de que faz parte, deveria se envergonhar. Especialmente quando você está numa posição influente. Se vivêssemos em uma sociedade utópica, poderia-se argumentar que você pode fazer arte apenas pela arte. Mas não vivemos. Você está influenciando muitas pessoas, então tem que se responsabilizar por isso. Não acredito em censurar ninguém, mas quanto a mim, não posso ser parte de algo que seja racista, sexista, homofóbico ou apenas retrógrado."


Sonam foi lançada por Sanjay Leela Bhansali em Saawariya (2006) e não voltou a trabalhar com o diretor. Sua avaliação é direta:

"Eu não acho que eu seja o tipo de atriz dele. É isto. Sou eternamente grata a ele por me dar meu lançamento, mas apenas não acho que eu seja o tipo de atriz dele. Se ele pensasse que eu combinasse com algum papel, tenho certeza de que me escalaria novamente."


Fonte: Huffington Post.

7 comentários:

  1. Adorei a Ratna Patak Shah, penso o mesmo.Agora, o Salman fica insistindo nesse Sooraj Pancholi sei lá por que, ninguém merece. Li coisas sobre a morte da Jiah e tenho um pé atrás com esse cara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eliana, eu acho até desrespeitoso o Salman insistir no relançamento do Sooraj, especialmente neste momento em que teve início o julgamento dele por participação no suicídio da Jiah. O Salman tem essa tendência de ajudar amigos, provavelmente a família deve ser amiga da família dele e pediram apoio. Gente assim anda junta.

      Excluir
  2. É desrespeitoso mesmo, acho que o Salman pode ajudar ele cem vezes nessa carreira de ator que não vai dar certo. Além disso, pelo visto a família Pancholi não respeita mulher não, porque o próprio pai do Sooraj teve um caso com a Kangana Ranaut(acho que ainda estava casado) e depois a própria Kangana acusou ele de agressão.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Ratna Patak Shah tem razão, tem muita coisa boa além das grandes produções.

    ResponderExcluir
  5. O sucesso da Deepika é fruto de uma jornada linda! Cada ano que passa mais gosto do seu jeitinho.

    Raquel

    ResponderExcluir

E aí, o que tem a dizer? Deewaneie!

Comentários ofensivos serão excluídos.