Semana Nutan: Artigo sobre a Nutan na Filmfare, parte 4 (final)

22.7.11 Carol Batista 0 Comments

Continuação do artigo em que amigos e familiares falam sobre a Nutan, publicado na revista Filmfare de 17 de março de 2010. Artigo de autoria de Meera Joshi, disponibilizado no blog do bollywooddeewana  e tradução totalmente vidalok livre feita por mim. Parte 1 aqui, parte 2 aqui e parte 3 aqui.

Esta parte contém um dos quadrinhos que apareciam durante o artigo, com depoimentos de seus três irmãos. Eu havia colocado os três depoimentos em apenas um post, porém ficou muito extenso e preferi colocá-los em posts diferentes. Vamos ao terceiro, que finaliza o artigo!

Tanuja (irmã)

“Nós apenas a queríamos de volta”

Por causa do intervalo de idades, Tanuja (sete anos mais nova), diz que sua relação era imensamente diferente da que irmãs normalmente tem. Ela admite que Nutan era mais próxima da irmã Chatura e do irmão Baba.’’Éramos totalmente opostas, ela era tímida e quieta, enquanto eu era levada. Quando cresci, ela era uma atriz ocupada e eu fui para o internato na Suíça.’’, recorda. Tanuja lembra-se de sua irmã mais velha sendo muito divertida. ‘’Ela tinha um excelente senso de humor, um astuto senso de humor que poderia metê-lo em problemas sem você perceber. As pessoas pensavam nela como uma atriz séria, mas ela teria dado uma grande comediante. Ela era uma incrível imitadora e parodiava a todos nós. ’’

De todo modo, as duas irmãs compartilhavam um grande relacionamento como co-estrelas. Tristemente, ela declara, ‘’Ela me disse, ‘Se você se concentrasse um pouco mais, poderia ser muito melhor. ’ Enquanto atriz, aprendi muito com ela, como me expressar apenas estando calada. Quando cresci, desenvolvemos uma relação na qual podíamos falar uma com a outra em um nível espiritual. Ela me dizia para deixar de ser uma transmissora e me tornar uma receptora. Lembro de uma vez voltar do trabalho e dizer à mamãe, ‘Agora que ela voltou, é como se o tempo tivesse parado.’ Enquanto eu falava, a campainha tocou. Perguntei o que ela estava fazendo aqui e ela disse que o carro tinha virado à esquerda e parado em Usha Kiron. Enquanto eu a bombardeava com perguntas, ela disse pare, torne-se uma receptora. Ela trouxe consigo um poema que ela havia escrito para mim em inglês sobre transcender para um eu mais elevado e entregando-o a mim, ela virou-se para nossa mãe e disse, ‘Ei, mãe, não parece como se o tempo tivesse parado?’ Mamãe e eu apenas olhamos uma para a outra. ’’ E parecia que tinha.

Pergunte à ela a razão para a distância em seu relacionamento e ela dá de ombros, ‘’Era algo sobre desvio de dinheiro entre ela e minha mãe, que não durou muito, mas ficou muito tedioso. E então houve os 18 acres de terra em Lonavala e a disputa era sobre quem deveria tê-los. Houve um processo, mas finalmente o problema foi resolvido por consenso e a terra, dividida entre minha avó, mãe, Tai e eu. Depois daquilo, não houve problemas. Nós apenas a queríamos de volta.’’ Pergunte se Nutan foi instigada a pedir sua parte, Tanu suspira, ‘’O passado se foi. Devemos deixá-lo ir. Pede encerramento. Ela era uma boa irmã, uma boa esposa e uma boa mãe, é isto que é importante. E ela era uma atriz fabulosa.’’

Tanuja lembra-se da irmã como um ser humano incrível com uma tremenda força de espírito. ‘’Se decidisse fazer algo, ela se asseguraria de que foi feito apropriadamente e bem. Ela tinha a memória de um elefante e poderia lembrar de cada tomada, retomada, direto para  continuidade da expressão. Eu ficava maravilhada com ela e perguntava como havia feito aquilo. Ela era focada. Eu levava as coisas levemente. Mas entendíamos uma à outra."

Falando de Mohnish, Tanuja diz, ‘’Ele é um bom menino. Amoroso e afetuoso. Ele era filho único e já que sua mãe estava constantemente trabalhando, talvez fosse solitário. Ele tem uma adorável esposa e duas lindas filhas, a segunda após 16 anos. É uma família boa e feliz.’’

0 comentários:

E aí, o que tem a dizer? Deewaneie!

Comentários ofensivos serão excluídos.