Semana Nutan, o fim!

24.7.11 Carol Batista 1 Comments

Eu não queria largar o post de Sujata aqui no meio e finalizar assim esta semana de imersão da minha pessoa na carreira da Nutan, então cá estou eu para finalizar de um modo mais decente.

Como já disse, acho muito difícil encontrar material sobre a Nutan. Os filmes, entrevistas, vídeos e tudo o mais que encontro ainda me parece muito pouco para entender melhor quem foi esta pessoa tão importante para a história do cinema indiano. Já foram à Wikipedia do Rajesh Khanna, por exemplo? Repleta de informações. Assim como a do Dilip Kumar, do Amitabh Bachchan, Raj Kapoor, entre outros. Pode ser implicância minha, mas sempre encontro mais informações sobre homens. De todo modo, isto me animou a descobrir mais. E realmente assim o foi! Apesar de a maior parte dos posts ter sido sobre a vida pessoal da Nutan (a parte mais difícil), os que mais me ensinaram foram os dos vídeos dela no Youtube. Minha impressão mudou tanto! Estava me acostumando à imagem de uma Nutan de papéis tristes e silenciosos. Mal a tinha visto dançar ou fazendo gracinhas, como vi em vídeos de filmes com Khandan e Dilli Ka Thug

O que eu queria e deveria ter feito mais foram posts sobre os filmes da Nutan, mas não me animei. Os únicos filmes que assisti dela e não escrevi foram Tere Ghar Ke Samne (1963) e Saraswatichandra (1968). O primeiro vi há muito tempo e estava com preguiça de rever, e o segundo me irrita bastante. Logo, imaginem a dificuldade da pessoa. De todo modo, pretendo escrever sobre eles...algum dia.

Sobre a própria Nutan: pensei que não aguentaria mais nem ver seu rosto ou ouvir seu nome, mas amo-a cada vez mais. Apesar de ter alguma desconfiança em relação a imagem quase santificada que passam dela, fui afetada por esta construção e passei a admirá-la muito. Uma das coisas que mais gostei de ler na matéria da Filmfare foi sobre seu profissionalismo. Pessoas que levam a sério sua profissão me encantam porque demonstram respeito tanto pelo que fazem quanto por todas as pessoas envolvidas no processo. Elas sabem que não são apenas elas ali, mas toda a equipe, as famílias dos membros dessa equipe e quem mais estiver dependente do sucesso daquela produção. 

Em relação à aparência da Nutan: a questão da beleza é muito relativa, mas ela foi sim, muito admirada por sua beleza física. Porém, seu talento é o que nos faz achá-la tão linda. Se todo o necessário para criar preferência na vida fosse beleza, Bipasha Basu seria uma das minhas favoritas. A Nutan tinha uma graça que anda sendo difícil de encontrar, e soube usar muito bem isto a seu favor. Quando digo "gosto de olhar para ela", não é para sua imagem em si. É para toda a auto-imagem que ela criou em torno de si. Olhar para a Nutan é lembrar da doce Sujata, da silenciosa Kalyani, e de muitas outras. Costumava ter muita facilidade para desvincular atores de seus personagens, mas no cinema indiano é difícil demais! Os atores e atrizes fazem 4, 5 filmes por ano e os personagens são parecidos, é complicado não confundir. E a Nutan para mim é a Nutan adorável, ponto. Além de uma das melhores atrizes que já vi.

Bom, acabou a Semana Nutan. Foi divertido, às vezes cansativo e sempre fascinante (falo sério). Espero que um dia, uma pessoa esteja navegando pela internet procurando a palavra "Nutella" e caia aqui sem querer. Ela estranhará um pouco esse papo todo de cinema indiano no Brasil, mas achará as cores do blog reconfortantes e ficará curiosa para saber quem é essa tal de Nutan que mereceu uma semana de posts de um blog que mal é atualizado. Lerá, verá as fotos, um vídeo ou outro e ao sair daqui, ficará pensando naquela moça de sorriso tranquilo lá da Índia. Voltará, "sem compromisso" e me perguntará onde pode encontrar um filme da Nutan. Indicarei com o maior amor do mundo, a pessoa o assistirá. E teremos mais uma pessoa no mundo a saber quem era aquela mulher tão especial.

Um comentário:

  1. Hello,
    I can't read portuguese, but I'm thrilled to have stumbled on a blog which, like mine, celebrates Nutan!!! Can you speak English? I'm French! It's a pity if we have to communicate through English, between latin-language speakers, but it's better than nothing!
    Let me know!

    ResponderExcluir

E aí, o que tem a dizer? Deewaneie!

Comentários ofensivos serão excluídos.